Seguidores

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Vale a pena reler.


Não preciso dizer mais nada. Dois grandes jornalistas e uma escritora corroboram tudo o que já escrevi.


"Ignorância do agente

Escrevo em resposta a opinião do agente de trânsito Jairo Souza, publicado no útimo sábado, 12, sobre sua visão de “ignorância” do jornalista e escritor Luiz de Aquino. É claro que de ignorância o senhor agente entende muito, afinal, saberia que o escritor Luiz de Aquino é um dos maiores nomes do jornalismo opinativo em Goiás, sendo respeitado por todos onde quer que vá.

Se Jairo Souza tirasse um tempo para se manter informado, saberia disso, porém, sua “ignorância” não lhe permite. A imagem dos agentes de trânsito para nós (população) não foi mascarada pelo texto do escritor, mas sim, por atitudes praticadas pela grande maioria deles. Sempre ignorantes e “donos da razão”, agem como se fossem verdadeiros militares, quase dando voz de prisão por questões simples.

Como repórte na editoria de cidades, em 2010, fiz a cobertura de um fato desagradável ocorrido na estreia dos jogos da Copa do Mundo com dois agentes. Nesse dia, tive a certeza de que são realmente arrogantes no exercício de suas funções. O saldo da arrogância foram dois agentes surrados, o irmão de um deles com um dente quebrado por familiares dos agredidos na porta do 1º DP de Goiânia. Conclusão: Os agentes de trânsito querem agir como policiais militares do Batalhão de Trânsito, e sequer estão preparados para abordagens perigosas.

Os citados acima, por exemplo, fizeram dessa forma. Apanharam muito para saberem que algumas ações, fora a de “multar”, devem receber reforço policial. O exemplo disso ocorreu com meu irmão. Numa ocasião, foi abordado por militares do Batalhão de Trânsito. Educadamente, o policial o avisou de erro cometido no trânsito e lhe pediu os documentos da motocicleta e habilitação. Ele foi verbalmente advertido e dispensando.

Em outra ocasião, dessa vez com dois agentes da AMT, foi diferente. Os agentes gritaram e o humilharam com palavras pejorativas, como quem precisa mostrar que está no comando. Imaginem se fazem isso com um bandido? Levam tiro, afinal, os agentes andam desarmados e mesmo assim querem fazer além do seu papel de multar. Na ocasião (com meu irmão), foi necessário que a PM interviesse liberando-o da mal sucedida abordagem dos agentes da AMT e avisando que o mesmo não cometia infração alguma na situação.

A sociedade goiana conhece e sabe: agentes de trânsito andam pelas ruas como verdadeiros donos da razão, impondo mais medo até que a própria Polócia Militar. Sim, porque se me aplicarem uma multa por motivo pessoal, será a palavra dele (que tem fé pública) contra a minha, mera cidadã.

Portanto, caro agente Jairo, assim como ostenta respeito pelas ruas e o exige, respeite os jornalistas, em especial o senhor Luiz de Aquino. Ele sim tem o repeito da sociedade goiana, sem precisar impor. Aprenda com ele a ter seu espaço e respeito perante os goianos, ou mude de profissão. (Eliane Barros, jornalista)"

13 comentários:

  1. E centenas de pessoas discordam! ainda bem que vivemos numa democracia.

    O senhor percebeu que não participei mais do seu programa? descobri que escutá-lo é uma tremenda perda de tempo, e só posto esse comentário, pq estou do lado da Lei! e creio que em breve o senhor estará respondendo ao MP pelas suas preciosas opiniões.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Rosenwal, em vez de ficar escrevendo artigo no DM leia o CTB - CÓDIGO DE TRANSITO BRASILEIRO - seu infrator contumaz se dirigir com o
    braço do lado de fora é MULTA DE ACORDO COM O CTB

    Art. 252. Dirigir o veículo:

    I - com o braço do lado de fora;

    II - transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas;

    III - com incapacidade física ou mental temporária que comprometa a segurança do trânsito;

    IV - usando calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais;

    V - com apenas uma das mãos, exceto quando deva fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha do veículo, ou acionar equipamentos e acessórios do veículo;

    VI - utilizando-se de fones nos ouvidos conectados a aparelhagem sonora ou de telefone celular;

    Infração - média;

    Penalidade - multa.


    PELO AMOR DE DEUS, VAI ESTUDAR EM VEZ DE FICAR ESCREVENDO BURRICES,MERDA NO JORNAL - NINGUEM MERECE.

    Espero que te PROCESSEM e que você prove todas as graves acusaçoes que tem feito.

    ResponderExcluir
  3. Eu fico indignado com a hipocrisia das pessoas. Falar para um jornalista renomado ir estudar e parar de escrever merda no jornal? Ai meu Deus, a que ponto chegamos! Essa merda na qual você se refere já premiou o jornalista várias vezes, inclusive se não me falha a memória alguns dos prêmios foram cedidos pelo próprio estado de Goiás com honrarias. Suas iluminadas palavras já lhe trouxeram quais prêmios? Paula eu sou administrador e estou acompanhando o caso. Faça-me um favor, realize uma pesquisa de satisfação do público sobre a AMT. Veja o resultado. E depois de estar com o resultado em mãos, volte a escrever, mas correto por favor. “Ninguém” tem acento. E sua última frase está incorreta. Você quer que ele seja processado e logo depois que ele prove tudo o que disse? No seguinte caso, ele prova e depois vai ser processado. Façamos um trato. Eu pessoalmente entrego um CTB para o Sr.Rosenwal Ferreira e logo após lhe entrego também um dicionário e de quebra algumas aulas de português.

    ResponderExcluir
  4. O INCRÍVEL CASO DO JORNALEIRO CHAPA BRANCA E SUA VAGA
    Era um lindo dia, o nosso bondoso jornaleiro seguia para suas sessões diárias de exercícios na sua academia. Era um dia perfeito.
    Mas ao chegar na academia o nosso jornaleiro não acreditou no que viu: havia um veículo estacionado na sua vaga. Que desaforo! Como JORNALEIRO tenho direito a tudo, afinal pago mais impostos do que qualquer um. Bradou! Sou JORNALEIRO formado, com pós-graduação nos states, como um simples indivíduo ousa ocupar minha vaga!?
    A fúria do nosso jornaleiro aumentou depois que ele constatou que quem ocupava sua vaga era um guardinha. Ficou vermelho de raiva. Lembrou-se de todas as vezes que, embora certo, fora repreendido de forma verbal ou escrita pelos guardinhas. Mas agora, o nosso jornaleiro estava ainda mais certo, pois alguém havia lhe roubado a vaga no estacionamento. Encheu o peito, aproximou-se do guardinha aliás, guardinha feminina, nessas horas o cérebro entra em stand by, descarregou toda sua ira contra uma jovem guardinha, meiga e educada. A resposta da guardinha não podia ser outra: fora educada, e cortês. O cérebro do nosso jornaleiro que estava em stand by, não podia analisar o comportamento da guardinha, então o instinto neardental do nosso jornaleiro é quem tomou conta da situação e por não entender a educação da guardinha usou um principio básico e primitivo: “Se não entendo, logo destruo”, e começou a vomitar agressões por todos os lados, a guardinha não conseguia entender os grunhidos e sons guturais que eram balbuciados pelo nosso jornaleiro que de tão desfigurado parecia um demônio da Tasmânia.
    O descontrole foi tanto que assustou a guardinha, que não estava acostumada a presenciar cenas fortes. Então chorou. Nem o choro conseguiu acalmar o nosso jornaleiro que parecia ter sido atingido por um raio cósmico do Guiodai (aquele do Jaspion).
    E a guardinha, coitada, desamparada ficou com a culpa por ocupar um espaço público que tinha dono.

    ResponderExcluir
  5. Vocês estão copiando as respostas antigas e colando nos novos textos. Novos problemas, a mesma AMT.

    ResponderExcluir
  6. Ah, Thiago larga de defender um infrator contumaz - aposto que é farinha do mesmo saco !!!!

    ResponderExcluir
  7. Acredito que ambos sejamos farinha do mesmo saco, não é verdade!? Mas é cada um em sacos distintos. Liberdade de expressão lhe incomoda sr. Anônimo?

    ResponderExcluir
  8. Roberto da Sílva Cunha16 de fevereiro de 2011 11:46

    Sou jurista e você Paula é que deve estudar o código de trânsito. O jornalista Rosenwal Ferreira escreveu “Não posso colocar o braço do lado de fora que sou multado”. Existem momentos que o sinal deve ser dado com o braço; isso se ensina na escola. Volte para reaprender algumas aulas que acredito fielmente que perdeu ou dormiu. Toda sua resposta comprova o que o que o jornalista diz. Vocês são despreparados.

    ResponderExcluir
  9. Se for tudo bem, estou junto com milhares de motoristas que consideram os agentes da AMT sacanas, incompetentes e sem ética. Os textos que vocês escrevem comprovam isso. Por que não comentam o conteúdo. No mais não perco mais tempo em discutir com gente como vocês.

    ResponderExcluir
  10. NÃO sou AGENTE DE TRÂNSITO E DISCORDO TOTALMENTE DE VOCÊS INFRATORES. ANDEM NA LEI QUE IRÃO GOSTAR DA AMT.

    ResponderExcluir
  11. Sr. Thiago Manuel, você usou de postagem neste artigo para criticar erros de português cometidos pela Sra. Paula. O que dizer disto: "Eu pessoalmente entrego um CTB para o Sr.Rosenwal..."? O Senhor não deixou espaço entre "Sr." e "Rosenwal". Isso para mim, que não sou formado, é um grave erro de português.

    ResponderExcluir
  12. COMUNICADO
    O SINATRAN – Sindicato dos Agentes de Trânsito de Goiânia comunica a quem se interessar que DISCORDA e DESAPROVA todas as ações que tenham por base ofensas morais, palavras de baixo calão, degradação, xingamentos e ameaças, mesmo que parta de seus próprios associados. O SINATRAN preza pelas discussões e debates, em alto nível e de forma limpa e justa. Por isso, faz um apelo aos Agentes de Trânsito, associados ou não, que reflitam sobre suas ações a fim de se fazerem respeitados e evitar prejuízos futuros.

    Diretoria.

    ResponderExcluir
  13. O clima se apresenta bastante tenso aí em Goiânia no que se refere ao embate entre um tal jornalista e a SMT, não? Aonde será que pretendem chegar com tais discussões?

    ResponderExcluir